O que é o BINGO?

O Projeto BINGO visa construir um radiotelescópio de conceito inovador para mapear a emissão de hidrogênio neutro desviada para o vermelho entre z = 0.13 e 0.45. BINGO é um anagrama para Baryon Acoustic Oscillations from Integrated Neutral Gas Observations. É um projeto internacional com colaboradores no Brasil, China, Reino Unido, França, África do Sul e Alemanha. É o único radiotelescópio que propõe mapear o gás neutro traçado pela linha de 21 cm em grandes escalas angulares no redshift z ~ 0.3.

Usar as oscilações acústicas de bárions (BAOs) como régua padrão nos permite medir a expansão do Universo em função do redshift e, portanto, restringir as propriedades da energia escura. O telescópio consistirá em um espelho primário de cerca de 40 m de diâmetro e um secundário um pouco menor. Terá cerca de 50 “pixels” (detectores). Com este projeto, a precisão na medição na escala acústica será de ~ 2% para um ano de tempo de integração, realizando uma pesquisa de varredura de deriva de 15 graus x 200 graus. Isso será alcançado através do emprego de um radiotelescópio estático de disco duplo de 40 m com uma resolução de 40 arcmin a 1 GHz.

O BINGO também é um pioneiro no emprego tecnologia semelhante a do projeto SKA, pavimentando sua relevância como um instrumento para levantamentos dados cosmológicos em larga escala.

Missão

Entender o Setor Escuro
Do universo

Missão um

Oscilações acústicas de bárions (BAO) na emissão de hidrogênio neutro.

Missão dois

Desenvolver tecnologia de instrumentação para cosmologia observacional e astrofísica.

Missão três

Estudo dos FAST radio Bursts (FRBs) e fenômenos de rádio periódicos (Pulsars, rrat, etc).

Instituições Colaboradoras

BINGO é uma colaboração internacional liderada pela Universidade de São Paulo, com a participação principal do INPE, e da Universidade Federal de Campina Grande (PB), no Brasil; da YangZhou University (China) e da University of Manchester (Inglaterra). As outras instituições colaboradoras são: Shanghai Jiao Tong (China), University College London (Inglaterra), Institute for Basic Science (Coreia do Sul), IAP - Institut d'Astrophysique de Paris (França), Universidade de Roma (Itália), IAC - Instituto de Astrofísica de Canarias (Espanha), Instituto Max Planck (Alemanha), Universidade de KwaZulu-Natal (África do Sul), ETH Zurique (Suíça), Universidade Federal de Itajuba (Brasil) e Universidade Federal do Cariri (Brasil).

Financiamento